A decisão tomada Por Gilmar Mendes de suspender o processo de Flávio bolsonaro mostra o colapso judicial do país


O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, determinou a suspensão de todos os processos que envolvem a quebra do sigilo do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) no caso Queiroz. A decisão é do último dia 27.

Gilmar lembrou da decisão do presidente da Corte, ministro Dias Toffoli, que determinou que a suspensão nacional sobre as múltiplas demandas em que se discute a forma de transferência, para fins penais, de dados obtidos por órgãos administrativos de fiscalização e controle — incluindo a Receita Federal, o Coaf e o Bacen.

Gilmar citou ainda um e-mail enviado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro, datado de 14 de dezembro de 2018, no qual a Promotoria solicita ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras mais informações sem prévia autorização judicial.

O ministro ainda determinou que, “diante da gravidade dos fatos”, envolvendo a troca de e-mails entre o MP do Rio e o Coaf envolvendo a quebra “indevida” do sigilo de Flávio, o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) apure a responsabilidade funcional de membros do MP no episódio.

A decisão atende a pedido do advogado de Flávio, Frederick Wassef, que esteve reunido com o presidente Jair Bolsonaro no Palácio da Alvorada no último sábado (28).


Para quem defende um país limpo de corrupção e aceita decisões áspera de um juiz nanico como o Gilmar Mendes, que por muitos anos vem fazendo escárnio de nossa constituição, tomando decisões monocráticas, nefastas e insolúvel, jamais pode bater no peito e dizer que combate a corrupção.

Flávio Bolsonaro envergonha seus eleitores e aqueles que querem verdadeiramente um país livre de corrupção.

Clique aqui para ler a decisão

# Compartilhar

DEIXE SEU COMENTARIO

    Blogger Comentario
    Facebook Comentario

0 comentários:

Postar um comentário