SEM DETALHES MINISTÉRIO DA SAÚDE DIVULGA CARTILHA PARA FIM DA QUARENTENA

Nelson Teich no Palácio do Planalto
Prometidas por Nelson Teich desde que tomou posse como ministro da Saúde, as diretrizes desenhadas pela pasta para orientar estados e municípios a sair do isolamento social começaram a ser divulgadas nesta segunda-feira (11/05). Segundo o ministro, a íntegra do documento, que tem cerca de 40 páginas, será apresentada na quarta-feira (13/05).

“Não é uma política nem de isolamento ou de flexibilização. A decisão cabe aos estados e municípios. O que o ministério da Saúde faz é disponibilizar uma linha de raciocínio que consideramos adequada, vamos estar sempre disponíveis para discutir com os secretários”, afirma Teich. Ele reforça que não é uma ordem, mas sim uma orientação.

Segundo ele, o trabalho foi feito em parceria com o Conass e Conasems (conselhos nacionais de secretários de saúde estaduais e municipais) tendo como base a revisão de estudos, exemplos e iniciativas internacionais.

As diretrizes funcionam a partir de quatro eixos: capacidade instalada, quadro epidemiológico, velocidade de crescimento e mobilidade urbana. Cada um destes itens tem uma pontuação e o município ou estado deve preencher um questionário detalhado.

A soma de pontos definirá o grau de risco (muito baixo, baixo, moderado, alto e muito alto) e as medidas que devem ser tomadas (distanciamento social seletivo I ou II, distanciamento social ampliado I ou II e restrição máxima).

Ferramentas de apoio para ajudar no preenchimento das diretrizes, como calculadora de pressão sobre os leitos, simulador de estimativa de leitos, monitoramento de casos sintomáticos e painéis de monitoramento, serão disponibilizadas pela pasta. Teich diz ainda que o ministério estará aberto e próximo aos secretários para ajudar. Questionado pela imprensa sobre mais detalhes, o ministro desconversou.

Discussão com secretários

Apesar de ter garantido que as diretrizes foram revistas e discutidas com os secretários de saúde em reunião no sábado (09/05), o ministro se disse surpreso com as declarações feitas por secretários do Conass e Conasems de que as diretrizes foram rejeitadas pelos conselhos e que seria inoportuno pensar em flexibilização no cenário atual.

“Enquanto estivermos empilhando corpos, não tenho como discutir isso”, disse o presidente do Conass, Alberto Beltrame, em entrevista ao jornal Estado de S.Paulo.

“Fui surpreendido hoje com notas em jornais dizendo que não era o cenário de hoje. Para mim, foi uma surpresa enorme: me foi passado que houve um consenso e que a reunião evoluiu de forma técnica, sem críticas em relação ao modelo”, afirmou o ministro. Para conter as críticas, nova reunião com secretários será feita antes da divulgação da íntegra do material.

Jacó Costa. Tecnologia do Blogger.