Presidente do ASSU se afasta do cargo por recomendação jurídica


O empresário Pedro Cavalcante precisou se afastar da presidência do ASSU. Por ter envolvimento politico e por ser ano eleitoral, o dirigente recebeu recomendação jurídica para o afastamento da gestão futebolística, de forma provisória.
Se deve às eleições municipais, sou presidente do Partido Progressista (PP), com isso o setor jurídico entende que, como também sou presidente do time, recomendou que eu me afastasse do clube para não prejudicar os candidatos do nosso partido. Então, por conta dessa orientação jurídica, mesmo sem ser candidato, estou me afastando provisoriamente”, disse Cavalcante.
Quando encerrar o pleito eleitoral, logo no início de dezembro, devo estar voltando as minhas funções dentro do clube. Até lá, quem assume o cargo é o vice-presidente Williame”, completou. Williame Dantas surgiu do movimento da torcida organizada Jovem Garra Alviverde (JGA) e agora terá a responsabilidade de responder pelo time até o fim da temporada, segundo regimento interno do ASSU. Devido à pandemia, as eleições municipais devem ser adiadas em dois meses ou até mesmo não acontecer neste ano. Por isso, surgiu um movimento em prol à unificação do pleito, passando para 2022 junto com as disputas para deputados estaduais, federais, senadores, governadores e presidente.
Se tal proposta for adiante e ganhar sanção, o retorno de Pedro Cavalcante à presidência assuense ocorrerá antes do previsto.

 Marcos Santos
Jacó Costa. Tecnologia do Blogger.