Espancado até a morte: Justiça de SP determina prisão da mãe de Gael. Andréia Freitas de Oliveira, de 37 anos, chegou a ser levada a um hospital psiquiátrico; Advogado alega que mãe não se lembra do ocorrido

  CASO GAEL

Justiça de SP determina prisão de Andréia Freitas de Oliveira, que teria espancado Gael até a morte

A Justiça ordenou a prisão preventiva nesta terça-feira de Andréia Freitas de Oliveira , de 37 anos, e suspeita de assassinar o próprio filho, Gael de Freitas Nunes, de 3, em São Paulo.

Pela manhã, Andréia foi indiciada por homicídio qualificado por meio cruel. A criança chegou a ser levada de ambulância para a Santa Casa de São Paulo ferida e com uma parada cardíaca, mas não resistiu aos ferimentos.

Segundo o boletim de ocorrência feito na 1ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) da capital paulista, Gael foi encontrado desacordado na segunda-feira na cozinha do apartamento onde morava com a mãe, uma tia-avó e a irmã de 13 anos na Bela Vista, no Centro da capital.

A polícia apura se a mãe teve um surto psicótico no momento das agressões. Segundo depoimento da tia-avó, Andréia não esboçou reação e ficou em estado de choque, sem falar nada. Em seguida, a mãe chegou a ser encaminhada ao Hospital do Mandaqui, na Zona Norte, onde foi medicada e atendida por um psiquiatra.

Já o advogado Fábio Gomes da Costa, que atua na defesa de Andréia Freitas de Oliveira, disse à imprensa que ela não se lembra do que aconteceu na noite da morte do filho e que não assumiu a autoria do crime, embora tenha ido para a prisão . O defensor relatou ainda que, ao tomar conhecimento da morte do filho, Andréia teria chorado por 40 minutos.

"Ela está muito abalada e não se lembra de nada", disse o advogado.

Entre os familiares da criança, o tio de Gael, Reumir Freitas, ainda busca explicações sobre o episódio.

"Talvez um descontrole emocional, talvez um surto, então fica para os médicos apurarem a a verdade", disse Reumir em entrevista.

Segundo o boletim de ocorrência, médicos que atenderam Gael contaram que o menino tinha sinais de maus-tratos e marcas de agressões na cabeça. A polícia apreendeu um anel da mãe que seria compatível com uma lesão na testa da criança. Também foram solicitadas imagens de câmeras de segurança do prédio onde a família morava na tentativa de esclarecer o ocorrido.

A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) informou que Andréia Freitas de Oliveira deu entrada nesta terça no Centro de Detenção Provisória Feminino de Franco da Rocha.


(Por 

Jacó Costa. Tecnologia do Blogger.