ALERTA: COVID NO RN - INDICADORES DA SESAP APONTAM PIORA EM 18,6% DAS CIDADES

Indicadores da covid pioram no Rio Grande do Norte

O acompanhamento semanal da pandemia feito pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) registrou essa semana a piora nos indicadores em 18,6% das cidades do Rio Grande do Norte. De acordo com o estudo de indicador composto finalizado nesta segunda-feira (18), que reúne diversos fatores como ocupação de leitos, casos ativos e óbitos, 31 municípios tiveram queda no escore, que vai de 1 a 5. Destes, 22 saíram do escore 1, que é a situação mais confortável, para o escore 2.

Outros oito municípios passaram da pontuação 2 para a 3, já dentro do sinal amarelo, e apenas um saiu do 3 para o 4, sendo o único com esse escore em todo o estado.

A situação denota alerta para a manutenção dos cuidados por parte da população neste momento de retomada das atividades. "A situação da pandemia ainda é estável em um patamar baixo, mas os indicadores mostram que não é possível relaxar. Temos que manter os cuidados, permanecer usando máscara e as medidas de distanciamento. Não é hora de relaxar", afirma o secretário de Estado da Saúde Pública, Cipriano Maia.

O gestor ainda reforça a necessidade de se tomar a vacina dentro dos prazos, pois a ampliação da imunização é a única saída da pandemia, como mostram os dados recentes. "Temos um contingente grande de pessoas com a segunda dose em atraso. Deixamos aqui um apelo para que procurem os postos de vacinação e tomem a vacina, para garantir a imunidade e alcançarmos os índices ideais de proteção", completou o secretário.

Segundo os dados da Sesap, estão com escore 3 os municípios de Cruzeta, Goianinha, Itajá, Itaú, João Dias, Lagoa de Velhos, Pedro Velho, Pilões, Santa Cruz, São Tomé e Timbaúba dos Batistas, enquanto Vera Cruz está com o nível 4.

Senador Elói de Souza

O município de Senador Elói de Souza, no Agreste Potiguar, publicou decreto endurecendo as medidas de contenção da pandemia da covid-19. A Prefeitura voltou atrás e voltou a proibir, a partir desta terça-feira (19), eventos que possam criar aglomerações e estão reduzindo, inclusive, o público em feiras e celebrações religiosas. O motivo foi uma alta no número de casos da covid-19 na cidade.

Em edição do Diário Oficial do Município publicada nesta terça-feira, a Prefeitura retomou medidas de contenção e distanciamento social, assim como proibiu a realização de eventos públicos e privados que impliquem na aglomeração de pessoas no município. A validade do decreto é de 15 dias.

Segundo a secretária de Saúde do Município, Alda Lourenço, a cidade tem 11 casos de pessoas com covid-19 em tratamento e sete casos suspeitos.

Segundo ela, durante mais de uma semana não foram registrados casos da doença na cidade. Porém, neste momento, duas pessoas tiveram a infecção pela variante delta confirmada e há outras pessoas com situação sob investigação. Por isso, o Município resolveu fazer a restrição.

"Cancelamos eventos, como um bolão de vaquejada, festas particulares, até um evento que ocorreria no dia 22, referente ao Outubro Rosa. Ofereceríamos toda estrutura para exames, parte social também, mas cancelamos para evitar aglomerações", disse a secretária. "A Igreja Católica dividiu o horário das missas para reduzir o número de fiéis e também estamos falando com os evangélicos", explicou a secretária, afirmando ainda que está havendo uma redução na entrada de feirantes de outras cidades.

"Não é fácil. Quando a gente pensa que vai sair da luta, a luta volta maior", disse Alda Lourenço.

De acordo com o mais recente boletim epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde Pública, Senador Elói de Souza, que tem aproximadamente 6,2 mil habitantes, somou 386 casos de covid durante toda pandemia, com 10 óbitos confirmados.

TN 

Jacó Costa. Tecnologia do Blogger.