Partidos já pensam na próxima eleição e tentam montar chapa para derrotar Fátima em 2022

 

Aproveitando o recesso do Congresso Nacional e a estadia no Rio Grande do Norte das principais lideranças políticas da região, um grupo de pelo menos quatro partidos já deu início, nas últimas semanas, a articulações para formar uma chapa competitiva com o objetivo de disputar o Governo do Estado nas eleições de 2022 contra a governadora Fátima Bezerra (PT). As movimentações acontecem apenas dois meses depois da eleição municipal de 2020.

O Agora RN apurou que os encontros das lideranças têm acontecido em casas de veraneio, especialmente a dos políticos que dão expediente em Brasília, mas que, por causa do recesso no Congresso, estão no Rio Grande do Norte desde o fim de dezembro.

A articulação gira em torno da construção de um polo alternativo ao do PT – que deve confirmar em 2022 a candidatura à reeleição de Fátima Bezerra.

Dentro desse bloco que busca se viabilizar como oposição, estão integrantes de PSDB, MDB, PSD e PL, justamente os partidos que mais elegeram prefeitos nas eleições municipais de 2020 – foram 108 dos 167 eleitos no Estado, o que corresponde a 64% do total.

Segundo as conversas de bastidores, as conversas entre os quatro partidos estão em caráter preliminar, mas já são esboçados possíveis nomes para a disputa no próximo ano. O grupo tem trabalhado em um nome de cada partido, para que a proposta seja refinada nos próximos encontros.

Além da disputa do Governo do Estado, o grupo também tem conversado sobre a eleição para o Senado. Em 2022, uma vaga estará em disputa – a do senador Jean Paul Prates (PT), que herdou o mandato de Fátima Bezerra quando ela foi eleita governadora em 2018. A ideia dos quatro partidos é apresentar uma alternativa ao PT nas duas disputas.

Do PSDB, o nome considerado mais competitivo é o do presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Ezequiel Ferreira. Ele é tido como possível candidato a governador ou a senador em 2022, contra Fátima Bezerra ou Jean Paul Prates.

No PL, o nome cogitado é o do deputado federal João Maia, também para governador ou senador.

Já no MDB, fala-se no deputado federal Walter Alves ou no ex-governador e ex-senador Garibaldi Alves Filho. Por fim, pelo PSD, o nome para a disputa seria o do ministro das Comunicações, o deputado federal licenciado Fábio Faria.

Uma fonte ouvida pela reportagem e que acompanha as discussões aponta que “muita água vai rolar” até 2022, mas que é preciso iniciar o esboço da chapa a fim de construir em tempo hábil um palanque que possa enfrentar em condições de igualdade a governadora Fátima Bezerra e o polo do PT em 2022.

Veja mais aqui.
Jacó Costa. Tecnologia do Blogger.