Super PP é a novidade da política potiguar

 

A presença do ministro Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) com caneta Bic cheia de tinha e a visitar o interior do Rio Grande do Norte não é a única novidade do final de semana.

Os bastidores que movimentaram todas as mesas e grupos de whatsappp é a migração em massa de apoiadores do Governo Bolsonaro para o Partido Progressitas.

O assunto tinha sido ventilado pela primeira vez na sexta-feira pelo Blog do Barreto, que conversou com o presidente da legenda, deputado Beto Rosado.

“Não é só Fábio que quer vir para o PP não. Rogério e Ezequiel também”. 

A referência era aos ministros Fábio Faria (Comunicações) e Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional), mais o presidente da Assembleia, Ezequiel Ferreira de Souza.

Ezequiel é a personificação do partido mais forte, com grande número de prefeitos eleitos em 2018. Cinco deputados estaduais  em conta pouco otimistas.

Agora há pouco, este TL conversou com o deputado Beto Rosado, que confirmou as declarações.

Questionado se as filiações tinham sido avisadas e/ou consultadas, a declaração que diz muito:

Tenho sabido tudo pela mídia, temos uma ótima relação com o presidente da legenda, senador Ciro Nogueira, que conhece nossa lealdade e correção com o partido. 

O que ele diz é que tudo que qualquer mudança será para o bem do partido… 

Ciro Nogueira é amigo pessoal do ministro Fábio Faria e teria batido o martelo com o grupo tucano do estado com as bênçãos do Ministro Rogério Marinho, que,  por sua vez deixaria o Centrão confortável com uma das mais cobiçadas pastas da Esplanada dos Ministérios.

Uma jogada de gente grande, que tem na corrida presidencial a intenção maior de aumentar a penetração do presidente Bolsonaro no Nordeste , ainda pintado de vermelho e com pesquisas de opinião apontando um quadro de 60% a 30% em desfavor do presidente. O ex-presidente Lula segue como o grande eleitor e eleito nas projeções da região.

De família tradicional da política potiguar, Rosado tem o que Marinho e Ezequiel ainda não tem; uma cadeira na Câmara Federal. Um cacife que garante pelo menos ser ouvido em qualquer negociação definitiva.

Até lá, muita água ainda para rolar. Confirmações e desistências.

No balanço, a certeza inquestionável; o grupo liderado pelo ainda aliado do Governo do RN, o presidente da AL Ezequiel Ferreira de Souza quer um caminho antagônico ao da governadora Fátima Bezerra. E para isso não basta ser do centro PSDBista,tem que ser o PP, aliado número um do Bolsonarismo.

Fonte: Território Livre


Jacó Costa. Tecnologia do Blogger.