APÓS OPERAÇÃO DA POLÍCIA FEDERAL, CONSÓRCIO NORDESTE REAFIRMA QUE FOI VÍTIMA DE EMPRESÁRIOS

 

Foto: Reprodução

Em nota enviada à imprensa na manhã desta terça-feira (26), o Consórcio Nordeste se pronunciou sobre a operação Cianose deflagrada pela Polícia Federal (PF) e disse que foi vítima de uma fraude por parte de empresários.

“O Consórcio foi vítima de uma fraude por parte de empresários que receberam o pagamento e não entregaram os aparelhos, fato que foi imediatamente denunciado pelo próprio Consórcio Nordeste às autoridades policiais e ao judiciário, através de ação judicial que resultou na prisão desses empresários e no bloqueio de seus bens. O Consórcio Nordeste segue aguardando a apuração desse crime, o julgamento e punição dos responsáveis e a devolução do dinheiro aos cofres dos respectivos estados”.

Ainda de acordo com o texto enviado à imprensa, “a aquisição conjunta de ventiladores pulmonares pelo Consórcio Nordeste foi realizada logo no início da pandemia, tendo como fundamento o art. 4º da Lei n º 13.979/2020, em processo administrativo que observou todos os requisitos legais”.

O caso tramita no Superior Tribunal de Justiça (STJ) porque o governador da Bahia, Rui Costa (PT), na época presidente do consórcio, desautorização à aquisição dos aparelhos que nunca foram entregues.

O petista já negou irregularidades na compra. Uma operação chegou a ser deflagrada em 2020 pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA). Diante das últimas ações, deputados da oposição na Assembleia Legislativa do Estado da Bahia (Alba) decidiram dar entrada nesta terça-feira (26) na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos respiradores. Com informações do Bnews.

Jacó Costa. Tecnologia do Blogger.