FIM DO MUNDO; Homem mata e arranca dedo de idosa pra usar em biometria no banco

Uma dentista de 74 anos teve quatro dedos das mãos arrancados após ser assassinada por um inquilino, em Colorado do Oeste, a 760 quilômetros de Porto Velho. A investigação apontou que o suspeito, um feirante de 38 anos, confessou o crime e justificou ter decepado os dedos da vítima para usar a biometria em um saque no caixa eletrônico de uma agência bancária.
O crime foi descoberto anteontem, quando o suspeito - que não teve identidade revelada - foi interceptado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) com o carro da vítima no município de Vilhena. Ele alegou que emprestou o veículo, mas depois confessou o assassinato de Dionélia Giacometti e do marido dela, o também dentista Eldon Mai, de 74 anos. O casal estava desaparecido desde domingo (5).
Suspeita de latrocínio
Segundo a Polícia Civil, a intenção do suspeito era matar o casal para roubar, o que caracteriza o crime de latrocínio. Ele morava alugado em uma casa no mesmo terreno das vítimas. Após assassinar a dentista, o feirante amputou com uma faca quatro dedos dela e os levou no bolso da calça até uma agência bancária para usar a biometria da vítima em saques. Ele não conseguiu fazer as movimentações.
"O infrator amputou os dois dedos indicadores e polegares, de ambas as mãos. Ou seja, cortou quatro dedos da vítima do sexo feminino. O intuito, ao amputar os dedos da vítima foi, de fato, para tentar sacar dinheiro no caixa eletrônico, para a leitura biométrica. Aliás, com uma fita crepe, ele colocou os dedos no bolso da calça e foi ao banco. Não conseguiu com as senhas nem com a biometria", disse o delegado Núbio Lopes, que colheu o depoimento do suspeito.
Jacó Costa. Tecnologia do Blogger.