O COVID-19 É CRUEL COM NOSSOS PROFISSIONAIS DA SAÚDE

Covid-19 já matou 20 profissionais da saúde e infectou mais de 3 mil no RN
O boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap/RN) aponta que 2% das mortes por Covid-19 no Rio Grande do Norte são de profissionais da Saúde, o que resulta em aproximadamente 20 mortes. Os dados são desta terça-feira (30).

Neste dia, haviam sido confirmados 1.034 óbitos. Nesta quinta-feira (2), o número de óbitos saltou para 1.095 (+61). Em relação a casos confirmados, 13% são profissionais da Saúde, o que resulta em 3.937 pessoas. O Estado tem 32.578 contaminados pela doença até esta quinta.

Nesta quarta-feira (1º), dois médicos morreram vítimas da doença causada pelo novo coronavírus. Nivaldo Sereno de Noronha Júnior, de 52 anos, foi presidente da Sociedade Potiguar de Pediatria (Sopern) de 2010 a 2016. Atualmente, o profissional atuava na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal do Hospital Santa Catarina.

Paulo Matos de Castro, de 64 anos, era pediatra, gastroenterologista e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). O médico prestou serviços no Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL) por trinta anos.

As mortes foram lamentadas pela Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Norte (SOPERN) por meio de notas.

Condições de trabalho

A Sesap desenvolveu estudos analíticos sobre o perfil dos profissionais da Saúde infectados com a Covid-19, que oferecem elementos para a necessária orientação na condução de gestores, pesquisadores e estudiosos

A pesquisa questionou os profissionais acerca do uso de equipamentos de Proteção Individual (EPI's) nas instituições que exercem suas atividades laborais. Cerca de 72% afirmam a existência desses equipamentos em quantidade e qualidade adequadas, outros 20%, discorreram sobre a falta de equipamentos para enfrentamento a pandemia nas unidades de saúde, 8% não quiseram se pronunciar.

O estudo pontua que 83% dos profissionais de saúde notificados, referem terem se afastado de suas atividades laborais, imediato ao aparecimento dos primeiros sintomas, e ressaltam que cumpriram sua quarentena sem problemas com os empregadores, sejam eles públicos ou privados.

A maioria dos profissionais afetados são técnicos em enfermagem (37,2%), enfermeiros (11,8%) e Médicos (8,9%). Aproximadamente 48% dos trabalhadores e trabalhadoras da saúde que contatos pela Sesap desenvolveram apenas sintomas leves e/ou moderados e outros e já apresentam cura.

O levantamento revela que 64,6% dos infectados correspondem a faixa etária de 30 a 49 anos, o que pode ser um indicador no que se refere a maior incidência de casos leves e moderados, visto que é uma das razões para a baixa mortalidade.

Foi observado, ainda, que existe uma maior incidência do sexo feminino (70,9%). A secretaria explica que o resultado é justificado pelo fato da grande maioria dos profissionais da saúde serem do sexo feminino.

Dos 3.937 casos a maioria são de cor parda com 37,3% sendo 1.061 do sexo feminino, em seguida os da cor branca com 31,5% sendo 909 também do sexo feminino. É fundamental informar que as informações são auto declaradas e foi apresentada a Sesap por meio da ficha de notificação.

Natal é o município com a maior concentração, correspondendo a 50,0% casos com profissionais de saúde infectados. O município de Parnamirim é o segundo, com 9,9%, seguidos de Mossoró com 8,2% e São Gonçalo do Amarante com 5,2%.

Mortes de médicos no RN

05 de abril: Earia Altamira de Oliveira
16 de abril: Elio Cesar Marson
19 de abril: Jayme de Oliveira Junior
06 de maio: Solon Pereira Lopes Ferreira
11 de maio: Tatiana Calife da Silva (estudante)
24 de maio: João Batista Medeiros Costa
25 de maio: Valéria Calife da Silva
18 de junho: Adelmaro Cavalcanti Cunha Júnior
21 de junho: Vital Avelino Maia Neto (estudante)
28 de junho: Samir Assi João
01 de julho: Nivaldo Sereno de Noronha Júnior
01 de julho: Paulo Matos de Castro


Agora RN
Jacó Costa. Tecnologia do Blogger.