Brasil de Bolsonaro: A dor da fome de um povo que se alimenta com pelanca e ossos

O jornal Extra, do Rio de Janeiro, publicou comovente matéria de capa nesta quarta-feira (29) sobre a volta da fome no Brasil. Os repórteres Rafael Nascimento de Souza e Gabriel Sabóia destacam, através de vários personagens, a busca por ossos, pelancas e gorduras que sobram dos supermercados da cidade.

O motorista de caminhão, José Divino Santos, de 63 anos, responsável pelo transporte da carne, conta que, nos últimos meses, aumentou o número pessoas pedindo ossos e restos de sebo.

“Tem dias que chego aqui e tenho vontade de chorar. Um país tão rico não pode estar assim. É muito triste as pessoas passarem por essa situação. O meu coração dói. Antes, as pessoas passavam aqui e pediam um pedaço de osso para dar para os cachorros. Hoje, elas imploraram por um pouco de ossada para fazer comida. Duas ou três pessoas em situação de rua passavam aqui e levavam. Hoje, tem dia que tem umas 15 pessoas”, descreve José Divino.

A reportagem aponta que “a pobreza extrema, que leva pessoas a garimpar restos, foi acentuada no Brasil durante a pandemia de Covid-19”. O jornal lembra ainda levantamento da Rede Brasileira de Pesquisas em Segurança Alimentar e Nutricional. De acordo com o relatório, mais de 116,8 milhões de pessoas vivem hoje sem acesso pleno e permanente a alimentos. Dessas, 19,1 milhões (9% da população) passam fome, vivendo “quadro de insegurança alimentar grave”. Os números revelam um aumento de 54% no número de pessoas que sofrem com a escassez de alimentos se comparado a 2018.

 

Jacó Costa. Tecnologia do Blogger.