ELIMINATÓRIAS DA COPA: EQUADOR EMPATA COM O BRASIL EM JOGO ATÍPICO - QUEM APARECEU FOI O ÁRBITRO

 Em jogo polêmico, Brasil empata por 1 a 1 com o Equador


A Seleção Brasileira segue invicta nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2022. Nesta quinta-feira, o Brasil até saiu na frente, mas ficou no empate de 1 a 1 com o Equador, fora de casa, pela 15ª rodada do torneio. A partida ficou marcada pela confusa arbitragem do colombiano Wilmar Roldán, que mudou de decisão em diversos momentos chave do embate.
Com o resultado, o time do técnico Tite foi a 36 pontos, com 11 vitórias e três empates. Já os equatorianos estão em terceiros, com 24.

O Brasil volta a campo agora na terça-feira, às 21h30 (de Brasília), contra o Paraguai, no Mineirão, em Belo Horizonte. Já o Equador visita o Peru, às 23 horas.

O jogo – A primeira etapa começou bem agitada no Estádio Casa Blanca. Com o relógio marcando apenas um minuto, Enner Valencia apareceu livre após cobrança de falta e testou com muito perigo pelo lado. Do outro lado, a resposta foi fatal.

Aos cinco, Coutinho cruzou na pequena área, Matheus Cunha cabeceou e a bola ficou viva na linha do gol após explodir na zaga. Esperto, Casemiro cutucou para o fundo da rede e saiu para o abraço.

Dez minutos depois, o clima esquentou em Quito. Matheus Cunha foi lançado na entrada da área e levou um chute no pescoço do goleiro Domínguez. Wilmar Roldán, então, expulsou o equatoriano após consultar o VAR. A vantagem numérica do Brasil, porém, durou pouco. Isso porque, logo na sequência, Emerson Royal levou o seu segundo cartão amarelo e, consequentemente, foi expulso.

Aos 31, o árbitro também chegou a mostrar o vermelho para o Alisson, depois do goleiro cometer falta em Valencia. Ao ser chamado pelo VAR, porém, ele mudou de ideia e apresentou apenas o amarelo. A partir de então, o jogo caiu de rendimento e passou a ficar bem truncado.

A Seleção só voltou a assustar aos 51. Matheus Cunha foi acionado na intermediária e arriscou. A bola bateu na marcação e voltou para o atacante, que tentou de novo. Desta vez, o arremate passou tirando tinta da trave.

Na volta do intervalo, os mandantes foram para cima em busca do empate. Com três minutos, Estupiñan cruzou na área, Alisson e Daniel Alves se atrapalharam e a bola sobrou para Estrada, que emendou para o gol. O tento, no entanto, foi invalidado, pois a bola saiu antes do cruzamento.

Já aos nove, Raphinha derrubou Estupiñan na área, e o árbitro marcou pênalti. Após consultar o VAR, entretanto, Roldán cancelou a falta. Já aos 30, nada impediu o gol equatoriano. Félix Torres subiu mais que a defesa em cobrança de escanteio e deixou tudo igual.

O Brasil tentou responder aos 40. Gabigol ficou com a bola pela esquerda e bateu cruzado. Atento, Galíndez espalmou. Na reta final, os equatorianos partiram para cima em busca da virada. Aos 45, Alisson tentou afastar a bola e acabou derrubando Preciado. No primeiro momento, Roldán marcou a penalidade, mas voltou atrás.
Jacó Costa. Tecnologia do Blogger.