O DIA EM QUE A TERRA PAROU

Por: Carlos Supla

"Essa noite eu tive um sonho de um sonhador, maluco que sou, eu sonhei..."

"Foi assim:
No dia em que todas as pessoas do planeta inteiro, resolveram ficar em casa. Como se fosse combinado em todo planeta. Naquele dia ninguém saiu de casa, ninguém..."

Assim começa uma canção de Raul Seixas. Que escrevia em suas canções, coisas da vida e da morte. O profeta do rock nacional, imaginava coisas além do seu tempo. 

Olhando no túnel do tempo da história, veremos que catástrofes, desastres naturais, calamidades, enchentes, furacões, erupções vulcânicas seguidas de terremotos e tsunamis, deixam seus rastros históricos e traumas na memória da humanidade.

Na Bíblia, as dez pragas concedidas por Deus para libetar o povo hebreu, liderado por Moisés, do faraó do Egito. 
Água transformada em sangue, rãs, mosquitos, moscas, pestes em animais, úlceras em animais e pessoas, chuva de pedra, gafanhotos, trevas em todo Egito e mortes dos primogênitos. 
Mas, precisou Moisés abrir o mar vermelho atraversar com o povo de Deus e em seguida engolir o faraó e todo seu exército. Conquistando assim, a liberdade daquele povo.

No século XIV a peste bubônica ou peste negra, matou cerca de 1/3 da população.

No século XV pragas na dinastia Ming chinesa. 20 a 40% da população morreu.

Varíola nesse mesmo século. 
Gripe, difteria, tifo, cólera na África. Assolaram aquele povo. 

Febre amarela no Haiti. 

E a mais famosa de todas, a gripe espanhola em 1918 a 1920. A pandemia infectou mais  de 500 milhões de pessoas, cerca de 1/4 da população mundial na época.

Como vimos, epidemias e pandemias  não são novidades no mundo. 
Uma epidemia que transformou numa pandemia, se alastrou no mundo inteiro. Onde os primeiros casos na cidade de Wuhan na China, começaram a aparecer. No final de dezembro de 2019. Se espalhou na Europa e todo mundo. E em quanto  o mundo comemorava o ano novo, um vírus novo tomava conta do mundo. Com seu alto e potente risco de contágio. 

O coronavírus: Família de vírus que causam infecções  respiratórias. 

A covid 19 - Corona Vírus Disease (Doença do caronavírus)
Co-corona.
Vi-virus. 
D-doença.

E 19, referência ao ano que surgiu os primeiros surtos.

Mesmo com o aparato tecnológico e com a velocidade com que a informação sucede no mundo moderno e contemporâneo, não foi possível evitar que a epidemia se transformasse numa pandemia. Não se fala em outra coisa no mundo. Há quem diga que o Coronavírus será nome de batismo na geração que virá.

No jogo de xadrez, a covid 19 seria a poderosa rainha em uma jogada de mestre, deixaria o rei inimigo em xeque, dando pouco movimento de defesa a humanidade.

Está provado que o mundo não se preparou para uma eventual situação de calamidade pública a esse nível. Um vírus novo, provavelmente de uma mutação e com alto poder de contágio parou o planeta. Dando ao homem apenas a opção de não sair de casa. Como Raul falou na música. E essa única opção é de grande valia. Evitando assim um colapso nos serviços de saúde de todos os países. Já que não há um tratamento adequado nem vacina para a covid 19. O maior órgão de saúde no mundo, a OMS orienta a todas as nações que a sua população fiquem em casa, evitando aglomerações e consequentemente a proliferação desse mal. Essa recomendação da OMS está  sendo aceita pela maioria dos líderes mundiais. Mesmo sabendo da quebradeira de todas as economias. Todos irão sofrer com tudo isso. O rico, o pobre, o empresário, o trabalhador, as famílias.

Acredito que na vida nada é por acaso. Essa pandemia veio ao mundo pra mostrar ao ser humano que está na hora de parar. 
Parar com a ganância. Parar com o egoísmo. Parar a ambição sem limites. Parar com a insensatez humana. Parar com as selvagerias das disputas dos mercados e das economias. Parar com as  disputas políticas e sociais pela ambição do poder. Parar com as guerras sanguinárias e bilionárias, enquanto crianças morrem de fome no continente africano. Parar com as hipocrisias religiosas semeadas por falsos profetas, que sempre aparecem anunciando o fim dos tempos. Parar com o tempo, onde o tempo é sinônimo de dinheiro. Se ainda vivo, com certeza Raul pederia pra parar o mundo, pra ele descer. Mas, essa é uma outra canção. 
Diante de tantas contradições e incertezas, as nações esquecem seus inimigos e se curvam de joelhos diante de um único inimigo invisível. 
Uma coisa é certa, depois de tudo isso passar, a economia mundial virá estabilizar e os países voltarão suas vidas normais, com suas culturas e costumes. Mas, o mundo nunca será o mesmo. A humanidade será mais humilde. O ser humano será mas humano. Essa é a grande lição que devemos tirar de proveito. Mas, como toda lição, aprende quem quer...
A cegueira humana é o seu pior demônio. 

Portanto, aprendamos essa lição. E por enquanto...

FIQUEM EM CASA.

Tenho dito.
Jacó Costa. Tecnologia do Blogger.