Real só não se desvaloriza mais do que moedas do Sudão, Líbia e Venezuela

O real só não se desvalorizou mais do que as moedas do Sudão, Líbia e Venezuela em 2021. Perdeu 8,6% em valor em comparação com o dólar. É o que mostram dados de relatório produzido pela Austin Rating.

A moeda do Sudão (Nova Libra Sudanesa) foi a que mais desvalorizou: -85,3% no ano. Em seguida, aparecem a Dinar, da Líbia (-70,1%), e a Bolivar Soberano, da Venezuela (41,9%). Em 2020, a divisa do Brasil foi a 6ª pior.

Em 2021, o real perdeu mais valor do que o peso argentino, que tombou 6,9% em comparação com a moeda dos Estados Unidos.

De acordo com a Austin Rating, a desvalorização do câmbio do Brasil é um efeito de carry trade, que significa o diferencial da taxa de juros pagas nos títulos dos EUA e as cobradas nos títulos brasileiros com o mesmo vencimento. Há um temor no mercado financeiro de que haja uma piora das condições fiscais do país, com uma expansão maior do que o esperado da trajetória da dívida....

O risco de inflação elevada e o crescimento baixo, potencializados pela fragilidade fiscal do Brasil, explica parte da desvalorização do real. A moeda brasileira se descolou dos países emergentes.

Segundo a Austin Rating, de março de 2020 até esta 6ª feira (5.mar.2021), o real desvalorizou 21% e a cesta de 16 outras moedas de países emergentes (que respondem por 30,1% do PIB global) valorizou 0,3%. Destaca-se o Peso Chileno (+10,6%) e do Renminbi Chinês (7,2%).

Poder 360



Jacó Costa. Tecnologia do Blogger.