7 de abril, terça-feira Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado.



 Governo deve anunciar o cronograma de pagamentos da ajuda de R$ 600 aos trabalhadores informais, e a Caixa libera o aplicativo para o cadastro. Mandetta fica no cargo e diz que o governo 'se reposiciona' para enfrentar o coronavírus. No Brasil, são 566 mortes e 12,2 mil casos. Nova York sitiada pela Covid-19 é o tema do podcast O Assunto, com Renata Lo Prete. Vendas online de supermercados quase dobram com a pandemia. E direto da estante, jornalistas da GloboNews dão dicas dos livros que chamam a atenção dos espectadores nas redes sociais.
Auxílio emergencial
Cédulas de reais
Marcos Santos/USP Imagens
Aprovado há uma semana no Congresso e já sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro, o auxílio emergencial de R$ 600 ainda não foi liberado. Milhões de informais, autônomos e microempreendedores individuais entram no sétimo de abril sem saber quando - e como - vão receber o pagamento. A expectativa é que o governo anuncie hoje o cronograma de pagamentos e que a Caixa Econômica Federal (CEF) libere o aplicativo para o cadastro.
Auxílio emergencial: quem tem direito e como vai funcionar a ajuda de R$ 600 para trabalhadores informais
Consultorias veem queda do PIB industrial em 2020 mesmo com socorro do governo
Mandetta fica
Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, diz que fica no cargo
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou ontem, após reunião com Jair Bolsonaro e ministros no Palácio do Planalto, que permanecerá no cargo.
De acordo com o Blog do Camarotti, o presidente havia decidido demitir o ministro, mas voltou atrás depois da reação de ministros do governo, dos presidentes de Senado e Câmara e de parlamentares.
O motivo que levou Bolsonaro a cogitar a demissão de Mandetta foram as divergências públicas de ambos a respeito das estratégias para conter a velocidade do contágio pelo novo coronavírus. O presidente defende o que chama de "isolamento vertical". O ministro é a favor do isolamento amplo, adotado por governadores.
Segundo Mandetta, a reunião no Planalto serviu para demonstrar que agora o governo 'se reposiciona' em relação ao enfrentamento a novo coronavírus.
"Tinha gente aqui dentro limpando gaveta, pegando as coisas. Nós vamos continuar porque, continuando, a gente vai enfrentar o nosso inimigo. O nosso inimigo tem nome e sobrenome: é o covid-19", afirmou. E voltou a repetir: "Médico não abandona paciente. Eu não vou abandonar".
Mais 560 mortes e 12,2 mil casos
Editoria de Arte / G1
As secretarias estaduais de Saúde divulgaram, até as 22h50 de ontem, 12.2239 casos confirmados do novo coronavírus (Sars-Cov-2) no Brasil, com 566 mortes pela Covid-19.
O Assunto: Nova York sitiada
Uma das cidades mais visitadas do mundo está irreconhecível, semideserta de dia e fantasmagórica à noite. Aglomeração, só nos hospitais. “Tem leito até na entrada”, conta a enfermeira brasileira Karina Felix. Ela está isolada, com sintomas de Covid-19, mas, como a febre passou, deve voltar à ativa a qualquer momento, mesmo sem ter sido testada. Neste episódio Renata Lo Prete conversa também com o correspondente Tiago Eltz, que descreve a cena de caminhões frigoríficos estacionados junto a hospitais, que já não dão conta da quantidade de corpos. Tiago explica por que o Estado de Nova York responde por quase metade dos pacientes de coronavírus nos EUA. E completa com um panorama de outras regiões do país, hoje líder em número de casos. Ouça:
Emergência no Japão
Pedestres com máscaras em Sapporo, cidade na ilha de Hokkaido, no Japão, em 26 de fevereiro de 2020
Issei Kato / Reuters
Japão tem pior mês da pandemia de coronavírus com 268 novos casos por dia, em média. Aumento de casos levou primeiro-ministro a anunciar estado de emergência em Tóquio e outras seis prefeituras. Falta de isolamento e restrição de testes ajudam a explicar aumento.
Vendas online: supermercados
Supermercado online
Freepik
O distanciamento social forçado pelo novo coronavírus no Brasil fez com que muitas pessoas tivessem que se adaptar a uma nova rotina dentro de casa. A forma de fazer compras do dia a dia, com muita gente buscando comprar alimentos e produtos de higiene pelo site dos supermercados foi uma das mudanças no comportamento. As vendas online de supermercados quase dobram após a epidemia.
Veja como evitar golpes na compra on-line
Nunca comprou pela internet? Veja passo a passo
Paraisópolis contra o vírus
Paraisópolis se une contra o coronavírus e contrata ambulâncias e médicos
Paraisópolis, em São Paulo, se une contra o coronavírus, contrata ambulâncias, médicos e distribui mais de mil marmitas por dia. Mobilização surgiu diante da falta de políticas específicas para favelas. Dois médicos, dois enfermeiros e três socorristas se mudaram para lá há 15 dias e estão em casa cedida pelos moradores.
Dicas de livros... da estante dos jornalistas
Parte dos jornalistas da emissora de notícias passaram a trabalhar em casa durante a pandemia do novo coronavírus
Reprodução/GloboNews
Jornalistas da GloboNews dão dicas de livros. Nas redes sociais, espectadores repararam nos livros atrás dos jornalistas. Eles passaram a trabalhar em casa durante a pandemia da Covid-19 e contam ao G1 sobre seus autores favoritos.
Gil e Preta Gil
Gilberto Gil e Preta Gil falam sobre período de isolamento por conta do coronavírus. Pai e filha foram entrevistados no podcast O Assunto, apresentado por Renata Lo Prete. "Me emociono muito com essa varreção que a pandemia está fazendo no mundo", comentou Gil. Ouça:
Como posso me aperfeiçoar no isolamento?
O G1 organizou uma lista de primeiros passos para quem quer se aprimorar a quarentena
Divulgação
Impedidos de sair de casa por conta da pandemia do novo coronavírus, muitos trabalhadores se questionam como aproveitar o tempo extra com atividades produtivas. Seja nas janelas que eram gastas com deslocamentos ou no período que sobrou da suspensão completa das atividades, qual a melhor forma de aproveitar esse tempo para se aprimorar profissionalmente?
O G1 organizou uma lista de primeiros passos para quem quer aproveitar a quarentena com ajuda de Rafael Ricarte, líder de produtos de carreira da consultoria de recursos humanos Mercer Brasil.
Concursos em tempos de epidemia
Candidato deve aproveitar para continuar se preparando para os concursos, dizem especialistas
Divulgação
Me inscrevi para um concurso que foi suspenso. E agora? Pandemia está levando ao adiamento das provas por prazo indeterminado; especialistas explicam o que o candidato deve fazer neste momento de incertezas.
Jacó Costa. Tecnologia do Blogger.